quarta-feira, 17 de outubro de 2018

CAPÍTULO 06 - A New Place To Call Home


"A minha consciência têm milhares de vozes. E cada voz traz-me milhares de histórias. E de cada história sou o vilão condenado.''

LONDON, REINO UNIDO.
NAME: Nate Evans.
CAREER: Vocalista da B2auty.

M
  orar com seus amigos é fácil, difícil é sair pra morar sozinho. Costume... Acho. Passamos tanto tempo morando juntos, que tinha me acostumado àquela rotina. A única coisa boa é que tinha me livrado da Stacy e espero que seja pra sempre. Ela me mataria se soubesse o que rolou aquela noite comigo e com o Declan, por um breve momento, aproveitei em tê-lo pra mim. Também ela fez uma confusão pra que eles me expulsassem, conseguiu me tirar dá casa e tirou qualquer resquício de confiança que tinha neles, e em mim.
Sem contar o show que ela deu quando descobriu que ia me mudar, no fundo, ela estava aliviada, mas se fez de amiga preocupada pra os outros. No dia seguinte, disse que tinha mudado de ideia e que não ia me mudar e secretamente, procurava um apartamento pra viver. Estava cansado dos maus-tratos da Stacy, me sentia uma merda e não conseguia dormir, aterrorizado com a ideia de que ela apareceria no meu quarto, no meio da noite.
Por conta dá falta de sono, minha aparecia era terrível. E pelo estresse, tomei uma decisão precipitada, parei de comer, não adianta continuar quando engordava mais a casa dia. Mudar era a liberdade que tanto procurava. Já não me achava neste mundo e não pertenço a este lugar. E como não tenho alguém pra recorrer, ou pelo menos me apoiar, meus medos acabaram se tornando monstros que me aterrorizavam. Quem sou eu? Quem devo ser?   

Horas depois...


Nunca quis alguém ao meu lado, como agora. Não sinto vontade de sorrir, tudo por que ela destruiu minha vida, fez meus amigos virarem as costas. Tudo por sua culpa! Aquele demônio em forma de gente. Quanto mais tempo passa, mais tenho certeza dá minha decisão. Mudar-me sem contar pra ninguém, me afastar dela e viver o mais distante de qualquer um deles, é a melhor atitude que faço.
Faço as malas, enfiou minhas roupas e outros objetos pessoais dentro de malas. Escrevo uma carta breve. Prefiro não dizer o endereço, não queria que eles fossem lá e levassem junto a Stacy, se queria ela distante, ela nunca poderia saber onde morou. Nova vida. Um táxi me leva até o apartamento, que ficavam quilômetros de distancia dá minha antiga casa. Eles sentiram minha falta? Ou eles estão felizes com a minha partida?
Quando chegou à minha nova casa, me sento no chão e fico pensativo. Nem parecia ser minha casa, estava vazia e fria. Não é grande que nem a antiga, tinha um tamanho tolerável, com uma cozinha mediana e um banheiro grande o suficiente pra uma pessoa. O quarto não era do mesmo tamanho do antigo, mais era um pouco menos, o suficiente pra uma cama de casal. Começava a escurecer, improvisou uma cama com alguns lençóis que trouxe e uns cobertores, deitou a cabeça no travesseiro e jogo um coberto em cima de mim. Esperando cair no sono na solidão, daquele apartamento vazio...
— Eles não se preocupam. Não se importam. — Sussurro. Ficou o restante dá noite me mexendo, de um lugar pra o outro. Não é como se nunca fossemos nós ver novamente, ainda tínhamos gravações no estúdio; shows nos estádios; entrevistas e turnês pelo mundo, não é como se fosse desaparecer de repente. Só queria conseguir me afastar dá cobra da Stacy, mas por consequência me afastei dos meus amigos, só pra me proteger.  





NAME: Elliot Harper.
CAREER: Vocalista da B2auty.
GIRLFRIEND: Rebecca Moore.

N
ate tinha comprado tudo que tinha quebrado e a historia de se mudar havia ficado pra trás ou pelo menos pensávamos que tinha ficado. Quando chegamos em casa, de cara reparamos que algo estava errado. Era uma escuridão e um silêncio, que nunca tinha escutado. O que está acontecendo? Não conseguia dizer o que era, mas sabia que tinha algo errado. As respostas pra nossas perguntas estavam grudada na televisão da sala, por uma fita adesiva. Uma carta. Leio em voz alta...


Queridos, amigos.


Sinto não ter avisado antes, sou um covarde por não conseguir contar cara á cara, E mesmo que fosse insensível dá minha parte avisar por uma carta. Repito, sinto muito. Não se preocupem, não desiste dá banda. Nestas ultimas semanas, tenho me sentido menos a vontade de conviver com vocês, tenho minhas razões.

Alguns dias atrás disse que ia me mudar e depois acabei mudando de ideia, mas na verdade, procurava uma casa secretamente. E agora que achei um lugar pra viver, um novo lugar pra chamar de lar. Devem pensar que sou um péssimo amigo por não contar. Pois, não são apenas meus melhores amigos, são meus irmãos. Também sou ciente que acreditam que tenham que cuidar de mim, mas quero que entendam que tenho idade pra decidir o rumo dá minha vida.

Continuaremos a ser melhores amigos, a cantar juntos e nós encontrar pra sair. Só não moraremos juntos mais. O quarto está livre pra fazerem o que quiserem, pra guardar tranqueiras ou pra dar para as meninas se arrumarem; guardarem roupas, ele é todo de vocês. Prefiro não deixar o meu novo endereço, espero que entendam.


Seu amigo, Nate Evans.


— Alguém diz que é brincadeira? — Diz Declan. Todos tinham uma expressão chocada, seus rostos estavam pálidos e sem nenhuma reação. Aquilo não era brincadeira de nenhum de nós, foi uma decisão tomada pelo próprio Nate. Ryan e Kian vão correndo olhar o quarto, pra ver se era mesmo verdade. — Não é mentira, só tem a cama; a cômoda e um closet vazio. — Conta Kian. — Foi decisão dele, o que podemos fazer é aceitar e apoiá-lo. — Declara Elisa. — Sim, você está certa. — Concordo. — Qual é o problema, S? — Questiona Karle. — Só preocupada com o Nate, sabe ele é como se fosse meu irmãozinho. — Diz Stacy. — Digo por todos que não é a única. Ele faz falta em casa. — Sussurro a última parte. Ficamos no sofá, desanimados. Apenas lembrando-se dos bons momentos que passamos juntos, daquela casa cheia de alegria; das festas; das brincadeiras e dos risos...



  CONTINUA




  • Publicada no Wattpad:cahhoran e no spirit: CahStClair

  • Publidado no dia 16/05/2017 ás 13:11 & Republicado dia 17/10/2018 ás 20:09
  • quinta-feira, 11 de outubro de 2018

    CAPÍTULO 05 - The Unexpected Kiss...


    "Antes de machucar meu coração lembre-se:você mora dentro dele!''

    LONDON, REINO UNIDO.
    NAME: Declan Shmidt.
    CAREER: Vocalista da B2auty.

    Q
    uando Stacy ligou sabíamos que lá venha bomba. Já não podíamos sair sem Nate aprontasse alguma coisa. Estávamos cansados das suas rebeldias de adolescente revoltado, há um tempo ele tem ultrapassado os limites. O pior é que a pobre da Stacy que tem que assistir seus episódios, ela estava transtornada com o ocorrido, não parava de chorar e até teve que tomar um calmante.

    Os espelhos dos banheiros estavam destruídos, assim como as almofadas e os copos; xícaras e pratos. Sorte que tínhamos como repor tudo que foi aniquilado, quer dizer ele tinha como repor tudo que destruiu. Ryan e Kian ficaram bem chateados quando viram a televisão de plasma quebrada, choraram mais que bebê.

    Nós saímos separadamente pra procurá-lo, só deus sabe o que ele feito pelas ruas. Só espero que não esteja na prisão, não é bom que a imprensa saiba de podres, pode ferrar com imagem da banda. Passei horas o procurando, chovia e trovejava. Avisto alguém parecido com Nate atravessando a rua, andava distraído e nem ao menos prestava atenção às movimentações dos carros.

    — NATE! NATE! NATE! — Grito. Ele nem me escutava. Um carro em alta velocidade se aproximava... Corria o mais rápido que podia e me jogo em cima dele, caímos no gramado. — FICOU LOUCO! — Exclamou. Nate nem me escutava, parecia estar em choque e tinha um olhar apavorado. — Oh, deus. — Ele estava ofegante e se sufocava sem ar. Como sou babaca, estava tão furioso que não havia reparado que ele estava tendo um episódio asmático. — Onde está sua bombinha? — Lhe pergunto. Encontro no bolso dá sua jaqueta. — Respira... Respira fundo... — Peço.

    Ficamos com os rostos próximos, podia sentir sua respiração normalizando, seu olhar relaxados. Por uns segundos me perco em seus olhos, nos seus lindos olhos verdes. Por que tenho desenvolvido um interesse em olhar detalhadamente os seus olhos, como seus cabelos ficavam quando bagunçados.

    Os meus instintos me pedem pra inclinar e o beijar, mas a razão me diz pra me afastar destes instintos. Mesmo lembrando que tenho namorada, tenho que provar o gosto dos seus lábios. Num impulso, o beijo sem pensar nem mesmo nas consequências. Seus lábios tinha um sabor incomparável com as sensações dos beijos de Stacy.

    — O que você está fazendo? — Pergunta Nate. Empurrando-me pra longe, com uma expressão assustada. — Desculpe... — Digo. Queria que ele me pertence-se, quero ser o único a lhe beijar. — Parece que o motorista foi embora e não tem ninguém na rua. — Comenta Nate. Observando o movimento. — Podíamos ir pra trás daquela árvore?! — Pergunto. Ele concorda acenando com a cabeça.

    Fomos pra trás das árvores, onde ninguém conseguiria nos ver. O encosto no troco dá árvore e o beijo novamente, esquecendo-se de alguns detalhes que atrapalharia mais tarde, aproveitando cada segundo dos seus lábios conectados aos meus. Traziam de volta sensações únicas, como um dia chuvoso; um piquenique no parque e risadas no final do dia.

    — Você... — Gaguejo. Nate tinha um olhar triste, tentava dar um sorriso que não era tão verdadeiro, como queria transparecer. — Não se preocupe ninguém vai saber disso. — Ele me tranquilizando. Seus cabelos estavam todo bagunçado. — Obrigado. — Agradeço. — Hum, seu cabelo está bagunçado. — Aviso. — Valeu. Acho bom arrumar a camisa, está um pouco amarrotado. — Ele comenta. Enquanto, arrumava o cabelo. Tentou arrumar minha camisa pra disfarçar ou achava que era pra isso, tentava mais esquecer o que estava acontecendo há poucos minutos.

    MERDA! SOU UM HOMEM MORTO! Stacy vai me matar se descobrir dá minha pequena aventura. Mas como faço pra parar de querer Nate pra mim, quando tenho namorada e poderia acabar com não só sua carreira, como as carreiras dos seus melhores amigos. Achava que beijá-lo finalizaria todos esses sentimentos por ele, mais só me fizeram querer mais. Francamente, estou em grandes problemas...

    — Nate? — Chamou. Ele tentava não me olhar, fingindo estar preocupado com as movimentações da rua. — Quê? — Ele diz. Reparou que tinha as bochechas vermelhas, não sabia se eram de vergonha ou por causa de uma febre. — Não devia pedir isso, mas posso te beijar novamente?  Peço. Ele fica chocado com meu pedido. — Agora? — Pergunta. — Sim, agora! — Digo. Não consigo esperar sua resposta, o beijo com desespero por mais. Suas costas voltam pra aquele tronco velho e suas pernas ao redor dá minha cintura, seus braços entorno do meu pescoço, mexendo com meus cabelos.

    — Desculpa, não queria... Hum, fiz algo de errado? — Pergunto confuso. Num momento estávamos no maior amasso e no outro, ele me emburra pra longe, quando coloco minha mão por baixo dá camisa. — Devemos parar por aqui, você tem namorada e eu... — Ele tenta explicar. Fico pasmado, entendo tudo que ele queria dizer. — OH, MEU DEUS! Você é virgem. — Exclamou chocado. — É. Podemos ir embora. — Desconvença. Quando entramos no carro, ele se olhava no espelhinho e parecia atento há alguma coisa importante.

    — Droga. — Ele solta. — O que? — Pergunto. — Você me deixou um chupão no ombro, era pra ser discreto. — Ele comenta. — Desculpa, pensa pela parte boa é no ombro sua camisa vai tampar. — Digo. — É legal, faz parecer que pertenço... Esqueci. — Ele tocava na marca com carinho, como se gostasse de ter ganhado um chupão de mim. — Podemos ir? Acho que estou ficando resfriado com essa roupa molhada. — Completa Nate.






    NAME: Ryan Campbell.

    CAREER: Vocalista da B2auty.
    GIRLFRIEND: Elisa Salazar. 

    P
    assamos horas o procurando e nada de encontrá-lo. Também ficamos horas esperando Declan, no lugar que combinamos nós encontrar e nada dele aparecer. Por onde tem andado estes dois? Esperava encontrar Nate primeiro, Kian também desejava encontrá-lo primeiro, ambos estávamos putos pela televisão da sala, mesmo dando pra comprar outra! Amávamos aquela TV como se fosse um filho, onde vou assistir ao jogo?

    — Onde vocês estavam? — Pergunto. Fazia horas que tínhamos voltado pra casa. — Hum... Hum, estávamos por ai. — Gagueja Nate nervoso. Estranho, eles estavam agindo muito estranhamente. — Na verdade, encontrei o Nate umas quatro quadras daqui. O salvei de ser atropelado, caímos no gramado, por isso estamos sujos. — Explica Declan. Ele também estava nervoso e tentava explicar onde eles estavam. A gente procurando pela cidade inteira e eles estavam quatro quadras distantes, deitados num gramado! Fala sério. — Vocês estão bem? — Pergunta Elliot. — Estamos bem. — Diz Declan.

    — Podemos falar do assusto principal? Alguém merece levar umas broncas por ter desaparecido e pela destruição da nossa casa, sem contar nossa querida televisão. — Digo rancoroso. — Bem lembrado. — Fala Kian, olhando seriamente pro Nate. — Do quê estão falando? — Pergunta Nate. Se não tivesse visto aquela destruição, diria que ele nem sabia o que tinha acontecido, ele sabe mesmo fingir.

    — Estamos dizendo daquele caos quando chegamos, lembra? — Diz Kian. — Você destruiu nossa casa! — Falou. — Caos?! Destruição?! Eu não fiz nada. É minha casa também, esqueceram? — Resmunga Nate. — Menos, vocês estão pegando pesado. E se for por causa dá televisão, podemos comprar outra melhor e mais moderna. — Declan o defende. — Dá pra parar de defendê-lo, ele é tudo, menos inocente. É errado abafar o caso quando ele destruiu nossa casa, sem contar sua namorada que ficou transtornada com os ataques de estrelismo do Nate. — Digo.

    — Quer saber, não importa o que diga, continuaram acreditando nas palavras dos outro, em vez das minhas, estou cansado! Cansado de ser tratado como um bebê, cansado de tudo isso. — Exclama Nate. — É disso que estamos falando, destes seus ataques. E também falou por todos que não sabemos do quê está cansado. — Diz Elliot. — Quero dizer que é hora de nos separar. Não precisa se preocupar, vou pagar por tudo e comprar uma televisão nova. — Avisa Nate. — Não entendemos, como assim? — Digo. — Amanhã, vou procurar um apartamento pra me mudar. — Diz Nate.

    Ficamos em choque, queríamos lhe dar uma bronca e não expulsar de casa. Merda, o que fizemos. Fazíamos cara de bobo, como assim vai se mudar? Nate estava muito chateado, nem quis conversar com a gente e jogava aquele olhar de magoado. A decepção era clara, tínhamos quebrado sua confiança e podíamos ter perdido um dos nossos melhores amigos.





      CONTINUA





    • Publicada no Wattpad:cahhoran e no spirit: CahStClair

    • Publidado no dia 30/04/2017 ás 20:19 & Republicado dia 11/10/2018 ás 23:35

    quarta-feira, 3 de outubro de 2018


    CAPÍTULO 04 - The Sweet Taste Of Revenge


    "Eu sei, é um doce te amar... O amargo, é querer-te pra mim.''

    LONDON, REINO UNIDO.
    NAME: Nate Evans.
    CAREER: Vocalista da B2auty.

    A
    gora sei que Inferno é aqui e que o continuou vivendo dia após dia. Depois daquele dia do filme, ela tem andado mais temperamental. Qualquer coisinha, já é motivo descontar sua irá a mim. Discretamente jogava os meninos e as meninas contra mim, ela estava fazendo minha caveira pra eles. Pior que voltaram com suas paranoias, tudo era motivo de desconfiança. Tudo está pior. Seus maus-tratos estão dez vezes pior, ela não parava de pegar no meu pé quando podia, esse era o verdadeiro inferno.
    Foram dias intensos, com espancamento e joguinhos mentais. Todo meu corpo doía, não tinha uma parte que não sofreu sua irá. Ela nem ao menos dava um tempo pra curar, hematomas atrás de hematomas. Já não sabia como escondê-los dos outros. E agora que tem ficado pior... Ela destruiu meu emocional, quanto mais tempo passa mais acreditava em suas palavras. O pior não eram os machucados e as cicatrizes, era minha mente sendo invadida por seu odeio.
    Talvez seja mesmo a pior pessoa do mundo, um lixo como ela sempre diz. É possível que não mereça ser amado por ninguém. Também olha pra mim, um garoto feio; precisando perder uns quilos e que era nojento. Nenhum deles eram meus amigos, era um bando de fingidos que riam de mim por trás. Não tenho nenhum amigo verdadeiro, minha vida é uma mentira. Tenho vergonha de olhar o reflexo do espelho e ver este monstro que nem merece respirar o ar que respira. Ela está certa. Caiu de joelhos, com a cabeça baixa e choro silenciosamente.
    E assim, começaram os maus hábitos. Faço coisa que nunca pensei fazer antes, que aos poucos foram fazendo parte do meu dia a dia. Pulo refeições com a obseção de estar gordo e com ele veio outro hábito, comer e vomitar pra me sentir bem comigo mesmo. Sabia que era nojento e ruim pra minha saúde, sempre ouve histórias de pessoas com problemas alimentares e nunca pensei cair nesta armadilha mortal. Mas nada era melhor que sentir a sensação de alivio ao ter o estômago vazio, mentir e enganar os outros viram um hobby que sabia bem fazer.
    É verdade quando diz que o diabo era anjo, ela é o diabo em pele do anjinho bonzinho. Sinto que não importa aonde vá, ela continua me perseguindo. Seu maior marco terá sido me destruir, me assistir caindo aos pedaços, este será seu maior feito na vida. Não a paz nem pra beber água, ela continua armando por trás das sombras. Viraram mais frequentes reuniões falando sobre o meu bem estar, também virou frequente ela me jogar contra meus supostos amigos. Stacy não tinha coração ou não conseguiria manipular eles dessa maneira sem sentir remorso, eles abriam seus braços pra ela e sem se importar destruiria um por um.
    — JÁ DEU! Cansei de falar dá maldita vida do Nate. Dá pra focar na festa desta noite? — Exclama Kian. O velho Kian de sempre, eufórico por uma festa. Poderia até rir com sua animação, se não estivesse baqueado com as bobagens que eles falaram. — Cara é lógico que topo, nunca perde uma festa. — Concorda Ryan. Esses dois são grudados uns nós outros, sempre iam às festas juntos, não existia pessoas que gostassem mais de festas que esses dois.
    — Ok, iremos. Só que ficaremos um pouquinho. E como somos nós que iremos dirigir, já sabem que quem não aparecer à meia-noite que arrume sua própria carona. — Avisa Elliot. Elliot e Becca nunca foram de festas e quando iam ficavam encarregados de cuidar dos outros, eles eram suas babás particulares, deve ser por isso que eles quase nunca saiam pra festas com os outros.
    — Está bem. Vocês são tão chatos! Nem adolescente voltam pra casa meia-noite, no mínimo uma e meia. — Resmunga Ryan. Mesmo com os problemas que pensam que tenho causado, eles continuam os mesmos, Kian o festeiro, Ryan o engraçadinho e Elliot o certinho, o único que não parecia o mesmo era Declan que havia mudado tanto depois de namorar Stacy.
    — E Nate? Devemos chamar ou é melhor não? — Pergunta Kian. Pelo menos ele se lembrou de mim. — Acho que melhor não, podemos aproxima-lo mais com seu vicio alcoólico. — Discorda Declan. Ela havia enchido sua cabeça com mentiras, ele acreditava mais nela que nem mim. — Também acho que não é bom levá-lo. — Concordava Stacy. Tinha que colocar seu dedo podre, onde não é chamada.
    — Já que é assim, não é melhor alguém ficar com ele? — Comenta Karle. — Tenho que acordar cedo, se quiser posso ficar com ele. — Oferece Stacy. Não posso ficar uma noite toda com ela. — Pode ser. O que acham? — Pergunta Elliot. — Meu amor cuida do Nate, talvez ele converse com você, sei lá. — Diz Declan. — É claro, meu amor. — Ela lhe dá um beijo, alegre com sua confiança por ela.
    — É hora de larga sua garota e ir pra festa. — Grita Kian animado. Os dois se soltam e o olham com cara feia. Logo em seguida, todos saem de casa pra ir pra tal festa. Aproveito pra sair pelas escadas de incêndio que ficavam próximas as janelas do meu quarto. Nem louco que fico na mesma casa que está bruxa.


    NAME: Stacy Riviere
    OCCUPATION: Namorada do Declan

    P
    ouco a pouco, consigo que meus planos vão se realizando. Em breve, conseguirei me livrar da aberração e me livrarei dos restantes dos seus amigos idiotas, pra que em fim possa me casar com o meu Declan. Ainda mais agora que estão desconfiados das atitudes do novo Nate, sem contar às coisas que disse pra manipular suas mentes pequenas, morria de rir com as coisas que eles pensam que é verdade.
    É hora de iniciar uma nova fase do meu plano, o infeliz do Nate não desconfia o que vem pela frente. Agora que os imbecis saíram, é a melhor hora pra começar meu novo joguinho. O procuro por toda a casa, cadê aquela peste? Parece que o ratinho fugiu, então que se inicie o meu segundo plano, ele não sabe o que espera quando voltar. Se antes eles não haviam o expulsado desta casa, dessa vez ele não terá pra onde voltar. E se por acaso eles não o expulsarem, vou ter que tomar atitudes mais rígidas pra conseguir o que quero.  
    — Ah, aberração. Você não sabe o que te espera. — Destruo a casa pra pensarem que foi o Nate que fez. Não espero menos que sair vitoriosa desta armação. Antes de fazer a ligação, treino um choro convincente, eles caíram facilmente em minha armadilha. Todos ficaram tão chateados com a destruição dá sua preciosa casa.
    — Desculpe não pode impedir. Ele estava tão louco, achei que me machucaria. Vocês precisam voltar, estou com tanto medo. — Fingia estar chorando desesperadamente. — Se acalma. O que está acontecendo? — Pergunta Declan. — Nate, ele estava maluco. Quebrou tudo na casa, achei que ele ia me agredir. — Havia uma discussão no fundo. Idiotas caíram! — Estamos voltando. — Ele diz. Sorriu vitoriosa.




      CONTINUA






    • Publicada no Wattpad:cahhoran e no spirit: CahStClair

    • Publidado no dia 26/04/2017 ás 11:44 & Republicado dia 03/10/2018 ás 15:25

    quinta-feira, 27 de setembro de 2018


    CAPÍTULO 03 - Beats Of a Passionate Heart


    "É engraçado como alguém pode partir o seu coração... e você ainda amá-lo com todos os pedaços partidos."  

    LONDON, REINO UNIDO.
    NAME: Nate Evans.
    CAREER: Vocalista da B2auty.
    D
     roga, estou atrasado pra entrevista. Rob vai me matar! Rob é nosso gerente do dia-a-dia do grupo. Ele sempre estava atrás de nós pra conferir se fazíamos nossa agenda. Junto de Kevin nosso guarda-costas. Ufa, parece que não sou o único, se der sorte posso pegar o Kian ou Ryan acordando com aquela ressaca, e talvez colocar a culpa neles. Todos se esqueceram dos acontecimentos da semana passada e pra variar Stacy continua me atormentando, ela sabia aproveitar os momentos a sós pra abusar do poder que tinha contra mim.
    — Vocês estão atrasados pra variar. — Resmunga Rob.  Ele tinha os braços cruzados, encostado na van cinza. — Desculpe, Rob. — Falou. Entrando no carro, logo atrás de Kian. — Quero contestar que foi culpa do Kian e do Ryan. — Diz Declan. Dou um sorriso de lado. Não disse que alguém diria isso, até acabou dando uma longa discussão até o estúdio.

    Entrevista

    — Bom dia, meninos. — A entrevistadora era uma mulher de uns vinte e poucos anos, que usava uma saia preta apertada e uma blusa rosa com um decote que mostrava seus seios, sem falar na maquiagem exagerada e nos saltos altos que eram tão vulgares quando seu decote. Nem parecia ser uma entrevistadora, parecia ser uma prostituta de bordel. — Bom dia. — Respondemos em conjunto. Declan se senta perto dá entrevistadora vulgar, Elliot ao seu lado, logo em seguida Ryan e Kian, me sento no lugar restante.
    — Começaremos com uma pergunta fácil. Quem está na pista e quem está comprometido? — Sempre que Declan olhava diretamente, ela empinava os peitos e dava um sorriso daqueles vá pra cama comigo. — Bom, nós quatro estamos comprometidos. — Gesticulando quem era os quatro comprometidos. Dava pra ver a decepção no seu olhar, ela tinha ficado toda murcha quando descobriu que ele estava namorando, ao qual superou rapidamente. Não disse que era mulher que se deita com qualquer um, ainda mais se tiver dinheiro. Dou um sorriso de canto ao ver seu rosto, fazendo uma expressão como se tivesse perdido uma liquidação.
    — Parece que é o único solteiro do grupo, planeja ter uma namorada ou um namorado? — Ela pergunta. Dando ênfase ao namorado, é claro que ela estava irritada e queria descontar em alguém. — Ainda sou novo, quero aproveitar a vida. Quem sabe daqui uns anos. — Digo confiante. Fico um pouco incomodado com sua insinuação e parece que os meninos também.
    — Claro. Vocês têm segredos uns dos outros? Daqueles que preferem guardar pra si ou contam tudo um pra o outro? — Ela pergunta. Congelo no lugar, fico todo arrepiado e sentindo um medo dá sua pergunta, como se soubesse que escondia segredos dos meus amigos, obviamente ela não sabia de nada, era só meu medo me deixando nervoso.
    — Todos vão concordar que não temos segredos uns dos outros, preferíamos manter nossa amizade limpa e clara como água. — Responde Ryan. Convencido que não tínhamos segredos uns dos outros. O restante concorda com sua resposta, fico parado sem responder e nem concordar com a cabeça, como eles fizeram. Fico perdido em meus segredos mais profundo, aqueles que não desejo que saibam. — Concorda com isso, Nate?! — Ela continuava a implicar comigo. Comecei a ficar irritado e parecia que os meninos também estavam. — Ahn... Sim, concordo. — Falou tentando disfarçar o gaguejo.
    Ela faz outras perguntas bobinhas, coisas que muitas outras entrevistadoras já haviam feito antes. Somos liberados pra ir pra casa, antes fomos conversar com nossas fãs que haviam ficado na frente do prédio nos esperando, tiramos algumas fotos e nos despedimos.

    FIM

    Essa entrevista foi muito mais cansativa do que esperávamos, suspirou cansado. Em poucos minutos, chegamos a nossa casa. Kian abre a porta dá Van, gritando “Banheiro” desesperado. Kevin dá um grito no banco do motorista, pedindo para o Kian não bater a porta novamente, o que acredito que ele não tenha escutado e fará na próxima vez. Ai, ai... O mesmo Kian de sempre, sorriu...
    — Então, o que faremos? — Pergunta Declan, todo animado. Não sei, qual era a ideia do Declan, mas não era a mesma coisa que passava pela cabeça dos outros. Eles também pareciam exaustos, sem vontade de fazer nada, além de irem pra cama, já que tínhamos um show amanhã. Vou me arrepender, mais acabou dando ombro como se não tivesse concordando, mesmo sabendo que os meninos não topariam. Não quero deixar o Dex triste.
    — Desculpa, cara. Estou morto de cansado, vou pra cama cedo. — Diz Ryan. Indo em direção ao corredor que fica os quartos. — Também estou morrendo de cansaço, ainda mais que acordaremos cedo amanhã. — Disse Elliot.  
    — Quer ver um filme? Diz que sim, por favor. — Ele fazia biquinho implorando. Não resistia ao seu charme, concordo em assistir um filme. Sorte que nenhuma das meninas viria pra cá, já que praticamente moravam com a gente, nem parecia que tinham casa, inclusive a Stacy. Ainda mais sabendo que Stacy virá amanhã, vou me arrepender quando ela chegar. Estou ferrado! Suspiro me rendendo aos seus encantos.
    — Tudo bem, um filme Não vai me matar. — Concordo. Pelo menos espero que não me mate. Surpreendo-me com minha calma, mesmo com o coração disparando que nem louco, só porque me sentaria ao seu lado. — Você está bem? — Pergunta. Só fazia meu coração bater mais rápido. — Es... Estou bem, por quê? — Gaguejo. — Ah, nada. Esqueça. — Diz Declan. — Ok. — Digo.
    Na metade do filme caiu no sono, o deixando assistir sozinho. Acordo na manhã seguinte na minha cama. Dou um pulo assustado quando vejo Stacy parada me observando dormir. A porta do quarto está fechada, capaz de estar trancada por dentro e ela deve estar com a chave.
    — Lê sua entrevista. Pobre, Nate! Qual seriam suas caras ao saberem dos seus segredos sujos?  — Ela dizia colocando seu dedo abaixo do meu queixo, levantando minha cabeça pra olhar em seus olhos, aqueles olhos monstruosos que me amedrontavam dia e noite.
    — Nem mesmo a entrevistadora acreditava que você é bom o suficiente pra namorar, não escutou seu tom sarcástico ao lhe perguntar se queria namorar? É claro que não sabe que gosta do mesmo que ela, seus interesses são os homens, não é bebê Nate? Ei, responde seu infeliz!  — Ela me dá um tabefe na cara. — Sim. — Sussurro. Não devia me sentir envergonhado por ser gay, mas a maneira como ela me tratava, é como se fosse a escória dá pior categoria, ela soube me manipular que nem sabia mais o que era verdade e o que era mentira.
    — Sabe o que farei? — Ela diz. Balanço a cabeça negativamente. — Te farei querer ficar longe alguém do mesmo sexo, sem conseguir tocar outro homem. Você ficara sozinho, seus amigos e familiares se afastaram quando souberem. E finalmente quando for a pessoa mais infeliz, tentará um suicido por ser o culpado de tudo isso. Enquanto, serei a pessoa mais feliz, sabe por quê? — Exclama. Continuou calado, negando com a cabeça que não sabia por quê?
    — Estarei casado com Declan, o homem dá minha vida. Teremos lindos filhos juntos. Já você será esquecido até mesmo pra ir para o casamento. Vou te jogar no fundo do poço, prometo! — Ela sai dá mesma maneira que entrou, sem ter sido vista por ninguém. Tudo que falava era uma tapada na cara que me destruía aos poucos. E era difícil controlar as lágrimas... 


    NAME: Declan Kyle Shmidt.
    CARRER: Vocalista da B2auty.

    N
    o começo do filme, fiquei preocupado, seu coração batia rápido, pensei que ele estava passando mal ou que era uma crise de asma. Nate dorme no meio do filme, Riu por dentro. ele não muda, continua caindo no sono no meio do filme, série ou qualquer coisa que tinham longa duração. Parou de assistir pra observá-lo dormir, com uma expressão serena, seu peito subindo e descendo, conforme respirava. E como parecia um anjo dormindo. 
    Quando mais tempo passo com ele, mais compreendo que ele é dono do meu coração. Talvez seja melhor terminar com Stacy, o que sinto por ela não é o mesmo que sinto por ele. Pensava amar Stacy, mais aos poucos reparei que meus sentimentos por ela é de amizade, não é quem quero namorar e nem casar-me futuramente, ela nem ao menos faz parte de um futuro próximo. Cada vez mais quero momentos a sós com ele, quero ser dono dos seus sorrisos e aquele que o beija.
    Os créditos passam sem me dar conta. Desligo a televisão e decido se devo deixá-lo no sofá ou levá-lo pra cama. O carregou até sua cama, onde seria mais confortável dormir. Ele tem estado mais leve, será que tem perdido peso? Seu quarto tem estado diferente deste a última vez que vem, antes era alegre e agora é escuto e um tanto sombrio.
    Acordo no dia seguinte, por beijos e caricias. Ela tinha seu corpo jogado nos meus braços e suas pernas entrelaçadas nas minhas. Não mereço seus carinhos, ela me ama muito mais do que posso ama-la. Seria certo abandonar um namoro, por uma paixão antiga? Ainda mais quando se tem uma namorada perfeita ao seu lago, que te dá todo o amor que pode. Teria coregem de terminar com Stacy, pra começar um romance desafiado com Nate?!
    — Meu amor, você parece estar cansado. Dormiu muito tarde? — Ela me pergunta. Só espero que não fique brava, ela fica um pouco irritada quando faço algo com só um dos meninos, por alguma razão, ainda mais se for com o Nate. — Assiste a um filme. — Responde. — Sozinho? — Ela diz um tom de desconfiada. — Não. Nós assistimos a um filme juntos. — Digo. — Nós quem? — Ela insistia em saber. — Eu e o Nate, amor. — Falou. Ela dá um sorriso e não parecia estar chateada. — Que legal, meu amor. Fizeram mais alguma coisa? — Ela pergunta. — Não, querida. O Nate dormiu no meu ombro, antes mesmo de chegar ao fim, sabe como é o mesmo Nate de sempre. — Brinco.
    — Falando nisso, lê a entrevista de vocês, arrasaram! — Ela comenta.  — Obrigado, pena que tivemos uns problemas nesta entrevista.  — Digo.  Dou-lhe um beijo em agradecimento. — Por quê? — Ela questiona curiosa.  — Tivemos que pedir pra tocarem quem ia escrever, a entrevistadora foi muito ofensiva com o Nate. — Revelo. — Ofensiva, como? — Pergunta. — Ela insinuou que o Nate era gay, por estar solteiro.  — Explico. — Então é melhor que trocaram, odeio que tentem machucar o Nate, sabe que me sinto como se fosse sua irmã. — Ela diz ofendida com a entrevistadora.
    — Sabe... Hum, você acha que nenhum dos meninos tem segredos escondidos? — Comenta. Ela fazia círculos em meu peito e parecia envergonhada em fazer está pergunta. — Acho que não, você acha que podem ter? — Falou. Fico curioso em saber se ela desconfiava de alguém. — O Nate tem estado diferente, é possível que ele tenha uns segredos guardados. — Ela comenta. — É verdade, ainda mais que quando estamos juntos ele se tranca no quarto e não sai por nada no mundo. Nate realmente parece ser uma pessoa que guarda segredos. — Completo sua teoria que Nate tenha segredos, será? — Viu. — Ela diz. — Pode ser cansaço, vivemos mais tempo em quartos de hotel e nos beliches dos ônibus de turnê. — Digo. Não vou negar, fiquei com uma pulga atrás dá orelha. Ele pode estar escondendo um segredo?



      CONTINUA






    • Publicada no Wattpad:cahhoran e no spirit: CahStClair

    • Publidado no dia 17/04/2017 ás 10:36 & Republicado dia 27/09/2018 ás 12:30

    Cah. Tecnologia do Blogger.

    This Is Me


    "Don't Be Afraid To Dream"

    Working Now!

    Me Apaixonei Por Você - MONDAY/TUESDAY

    Liars - WEDNESDAY/THURSDAY

    The King Have Triplets - FRIDAY/SATURDAY

    Schedule Of Posts


    Liars - Capítulo 03 ✍️
    (27/07/2018)

    Eu Indico... Batman & Robin's Part 2✍️
    (03/08/2018)

    Me Apaixonei... Caí Por Você - Capítulo 17 ✍️
    (10/08/2018)

    The King Have Triplets - Capítulo 14 ✍️
    (17/08/2018)

    Facebook